domingo, 26 de março de 2017

Entrevista - Kommandant (Estados Unidos)

Banda não recomendada aos covardes, aos que vivem na zona de conforto da mediocridade da sociedade comum, essa banda de fortíssima sonoridade Death/Black Metal e de postura e ideologia, sem a mínima intenção de agradar ninguém, confira a entrevista que fizemos com essa grande banda americana chamada Kommandant.



Saudações Jim, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Kommandant e quais são os planos para o futuro?

Jim: 2016 não foi muito ocupado para nós em termos de performances ao vivo, principalmente devido a estarmos ocupados com a composição e gravação de 3 diferentes lançamentos de 7 "vinil split, durante a maior parte do ano.Nós realmente preferimos não fazer turnês e criar novas músicas durante o mesmo período. O que pode funcionar para algumas bandas, mas não para nós.Nossos planos para o futuro em 2017 envolvem a criação do novo álbum do kommamdant, que será um trabalho colaborativo entre a nossa principal gravadora, a Aeternitas Tenebrarum Musicae Fundamentum da Italia e o selo americano Behold Barbarity.


Quais são suas principais influências musicais? 

Jim: Demasiadas para listar .... muitos para reclamar. Eu sou muito velho e muito frio para ser influenciado por muita coisa ultimamente.


Como tem sido a recepção de "The Architects of Extermination" mundo afora?

Jim: Acho que as pessoas certas foram receptivas a isso. Essa foi minha percepção. Não para todos. O álbum saiu mais alto do que esperávamos em termos de produção e conceituação, e para mim, pessoalmente, uma pequena vitória foi alcançada. Isso é realmente tudo o que importa para mim, pessoalmente. Eu faço isso por mim, em primeiro lugar e acima de tudo. Se os outros apreciam o produto, então é uma vitória para todos os envolvidos.


Como tem sido a parceria com o selo “Aeternitas Tenebrarum Musicae Fundamentum”?

Jim: Fantástica. Diego, o proprietário do selo, entende perfeitamente o kommandant, de conceitos para a música real .... todo o pacote. Ele nos permite uma liberdade criativa de 100%, sem absolutamente nenhuma tolerância para a censura de qualquer tipo. Estamos absolutamente felizes com a colaboração.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Jim: Eu  realmente não tenho ouvido nada de novo, então eu sou a pior pessoa para pedir uma opinião de qualquer atual, até e sobre bandas vindouras. Acho difícil localizar algo impressionante dentro de qualquer banda de metal mais recente. Eu nem sequer tento descobrir mais, porque eu sempre acabo decepcionado. Eu me encontro a reverter de volta para a música que significava algo para mim, como discos de rock progressivo  do início dos anos 70.



Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Jim: As letras são uma expressão honesta, não uma tradução direta, do meu desdém pessoal para a falta de provocação e atitude autorizada na música ..... estou tomando medidas para corrigir isso no álbum mais recente. Parece que nenhuma banda está disposta a arriscar mais .... todos estão em modo de segurança. As bandas que pensam que eles são os mais perigosos muitas vezes não são de todo mal. Cuidado com os cavalos de Tróia. NÓS somos os vossos novos líderes ... atendam à chamada.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Jim: Nossos contatos são os mesmos, muito obrigado por seu tempo. James.









quarta-feira, 22 de março de 2017

Entrevista - Rotten Filthy (Brasil)

Mais uma grande banda gaúcha marcando presença aqui no blog, dessa vez o Rotten Filthy com seu excelente Thrash/Death com excelente produção musical, eles estão divulgando seu album "Inhuman Sovereign" confira a entrevista abaixo:


Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog “Questões e Argumentos”, é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Rotten Filthy e quais são os planos para o futuro?


Rotten Filthy: Nós que agradecemos. Tudo o que for pra fortalecer a nossa cena, pra nós é uma honra! O ano de 2016 foi o ano mais agitado pra gente, depois de um tempo nos reformulando, fizemos uma tour de 3 shows no RJ ao lado do Surra, e também um show aqui no RS, em são Leopoldo, ao lado do Patria,e outras ótimas bandas. Bom, em 2016 encerramos as divulgações e a The Inhuman Tour, que é a série de shows que estamos fazendo com um repertório baseado no nosso primeiro álbum. Já estamos escrevendo as letras, e riffs , além do conceito do nosso próximo álbum. 


Quais são suas principais influências musicais?

Rotten Filthy: O Rotten Filthy tem uma gama gigantesca de influências, que vão se afunilando até chegarem a composição da nossa música, mas em suma é algo que passeia entre Krisiun, Lamb of God e Behemoth, até coisas mais clássicas como o Iron Maiden, e o Slayer.




Como tem sido a recepção de “Inhuman Sovereign” mundo afora?

Rotten Filthy: Tem sido Surpreendente. Infelizmente a gente conseguiu perceber que o brasileiro apesar de  ser o fã mais fervoroso e ortodoxo de música extrema não se interessa tanto pelo que é feito no Brasil, quanto as pessoas de outros países, aqui no Brasil, todas as pessoas que ouviram, receberam muito bem e elogiaram bastante, o que pra nós é extremamente gratificante. Porém segundo as redes sociais, os lugares aonde mais somos acolhidos é entre o Leste Europeu e a Califórnia, lugares aonde nossas exibições no youtube e no BandCamp são mais altas.


Como tem sido a parceria com o selo “MS Metal Records”?

Rotten Filthy: Como não existe um mercado real de música extrema aqui no brasil, tanto a MS quanto também o selo que nos apoia desde o nosso EP, a Cianeto Records, tem feito um trabalho árduo pra distribuírem e divulgarem bastante o Rotten Filthy, um milhão de agradecimentos pra eles.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Rotten Filthy: Muita Literatura Fantástica, como os livros de H.P Lovecraft, misturando experiências pessoais e no novo álbum estamos colocando o pé no misticismo e na espiritualidade
( não religião, espiritualidade).
É uma fuga do lugar comum dentro do metal, com certeza a gente quer mostrar algo fora do habitual dentro do nosso âmbito lírico, e até mesmo musical, algo que vai ser extremamente evidente no próximo álbum.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Rotten Filthy: A gente ouve muito RUSH, Muito Death e Black Metal como Obituary, Cannibal Corpse, Krisiun, Suffocation, Behemoth e Dimmu Borgir entre outras tantas bandas. Também as bandas que dividem palco com a gente, além de coisas mais experimentais como Tool, Gojira, Mastodon, Animals As Leaders, Muse. Como somos 4 integrantes, acontece uma mistura muito grande de gostos e influências musicais, que como falamos antes, tentamos afunilar e adicionar de forma totalmente pessoal dentro da nossa música. Então vai desde música brasileira, música nativista gaúcha, até jazz ( eu sou grande fã de jazz) e até mesmo o Rap, e ás vezes isso pode não ficar tão evidente no ouvir, mas fica evidente na atitude, na forma de tratar o público ou de compor uma nova música.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apóiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Rotten Filthy: Agradecemos muito ao pessoal do Blog pela entrevista, agradecemos também à todo mundo que de alguma forma apoia a gente, seja indo no show, comprando merch ou até mesmo dando um like na página, obrigado mesmo, juntos a gente vai longe! Keep Rotten!

Facebook: fb.com/rottenfilthyofficial
Youtube: youtube.com/rottenfilthyofficial
Instagram: instagram.com/rottenfilthyofficial
Contato para Shows: collapseagency@gmail.com
Contato com a gente: rottenfilthyofficial@gmail.com

Pra ouvir nosso álbum: https://rottenfilthyofficial.bandcamp.com/releases








Entrevista - Venefixion (França)

Confira a entrevista que fizemos com essa nova e promissora e obscura banda francesa chamada Venefixion, eles estão com material novo altamente recomendado aos fãs do death metal em sua forma mais crua e obscura, confira a entrevista abaixo.

Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Venefixion e quais são os planos para o futuro?

Venefixion: 2016  foi , eu como membro do VENEFIXION, o ano em que nosso lançamento "Armourican Deathrites" foi lançado pela Iron Bonehead como um MLP & CD (conterá nossa demo como faixas bônus para quem a procura a versão em CD).
É também o ano em que J. Obscene se juntou à banda, agora somos quatro nas sessões de gravações.Finalmente, é o ano em que o nosso primeiro show aconteceu em Nantes (não muito longe da nossa região na França) no Festival Darkness Prevails II. dividimos o palco com  bandas como o  OCCULT BURIAL ou nossos irmãos da RITUALIZATION, é isso! Mais shows virão no início de 2017. Cara, precisamos ter nosso LP lançado e então vamos ver. O K. Desecrator sairá da banda com certeza, o que implica que vai ser um pouco mais difícil de compor e gravar ... De qualquer forma, já falamos sobre isso e que seria ótimo fazer um split EP próximo. A única coisa é encontrar a banda certa para fazer isso. Temos dois ou três nomes com os quais pensamos que podem corresponder, entre eles está um que temos a certeza de que poderia funcionar, mas só precisamos perguntar-lhes se eles poderiam estar interessados. Caso contrário, se nenhum split sair, eu acho que vamos começar a trabalhar no nosso primeiro álbum.

Quais são suas principais influências musicais?

Venefixion: Nossas influências musicais estão entre bandas como: Repulsion, Grotesque, Massacre, Dismember, Repugnant, Autopsy, Excoriate, Morbid Angel, entre outras bandas da cena HM.





Como tem sido a recepção de "Defixio" mundo afora?

Venefixion: Bem, a recepção de DEFIXIO em todo o mundo é bem simples de explicar. Uma vez que enviamos as músicas para o nosso selo, então, tudo foi iniciado, comentários e assim por diante iniciado uma vez promoção foi ativada. A demo não esta mais disponível atualmente e as pessoas ainda falam sobre ela. Quando ela foi lançada, foi a mesma história. A maioria das grandes revistas na Europa e principalmente a Alemanha nos ignorou (exceto uma), mas nunca demos importância pra isso, foda-se, as pessoas pareciam ter gostado muito. Nós estivemos na seção do mais vendedidos no Web site da Iron Bonehead  por meses antes que a demo ficasse esgotada, que eu penso que é algo completamente ótimo para uma banda que veio de lugar nenhum com somente uma fita demo. Essa mesma demo foi vendida cerca de 6 meses depois que ela foi lançada e sobre os comentários + feedbacks foram realmente positivos (exceto para um ou dois blogs / webzines concentrando-se no humor ou popularidade das bandas que eles revisavam). Como eu disse não há muito tempo, nossa música fala por si só; Nós mantemos as bocas fechadas. Na verdade, as 500 cópias se foram e nós não lemos muito sobre isso pela internet ou pelos fanzines ... isso é muito estranho, mas nós lidamos com isso fácil.



Como tem sido a parceria com o selo "Iron Bonehead Productions"?

Venefixion: Tem sido muito simples e fácil, Patrick conhece a música muito bem e quando ele gosta de algo, você pode ter certeza que ele vai fazê-lo rápido e simples! IRON BONEHEAD é para nós um dos melhores selos do mundo, uma vez que enviamos nossas faixas mixadas e masterizadas para ele, levou cerca de 30 minutos para conseguir um acordo. Só precisávamos terminar nosso layout da demo e esperar até que as últimas partes da arte gráfica fossem feitas. Em seguida, foi tudo embalado. Patrick é uma pessoa muito competente; É dito, é feito, ainda mais rápido do que você pode esperar que seja. Assinar com a  Iron Bonehead Productions é a melhor coisa que podemos fazer para uma demo tape e ele decidiu diretamente fazer 500 cópias delas. Este é para mim uma boa prova de confiança e uma boa dose de risco assumido. A parceria ainda permanece como nosso próximo lançamento ainda vai sair pela Iron Bonehead Productions e não temos intenção de ir a qualquer outro lugar. Pra que? Para um selo maior colocando pressão sobre nós e arrebentando nossas bolas. De jeito nenhum! Iron Bonehead Productions é o melhor lugar para estar e ficar.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Venefixion: Eu estou ouvindo essas bandas ultimamente: Crazy Bull, Crematory Stench, Hexenslaught,Electric Shock, Ripping Death, Oraculum, Malokarpatan, Haxenzijrkell, Vitriol, Necromantic Worship, Rapid, Stonewitch (somente a demo), Celestial Grave (Vibe ala Megiddo e Destroyer 666). Além dessas bandas novas, continuo ouvindo Ashbury, Massacre, Catacomb (Fra), Ice War, Winterhawk, Megiddo, Doomentor (O próximo album eu tive a sorte de ouvi-lo), Black Magic, Repugnant, Bathory e os clássicos (Mercyful Fate, Venom, etc.), Zemial, Jaguar (Power Games), Armoured Angel (Melhor banda australiana de todos os tempos), Holocausto (Campo de Extermínio), Sabbat (Jpn + UK), Unpure, Kruiz, Carnivore, Pagan Altar entre outras.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Venefixion: Só depende do meu humor, também sobre o que eu sou levado a ler como artigos ou livros. Eu realmente tento passar minhas noites lendo e quando isso não é possível por causa do trabalho, eu faço isso no fim de semana. Elas só vem do que eu me deparo com a leitura. Quanto ao próximo lançamento, foi apenas um desejo do meu lado para chegar mais perto de minhas raízes e lidar com assuntos ligados à morte e magia na minha região. Isso pode continuar no futuro ou não, se eu encontrar temas que valem a pena falar. O que é certo é que não vamos tentar copiar ninguém sobre isso, ele só vai depender da inspiração e sentimentos do momento, só que, o resto foda-se!


Onde é possível adquirir o material de merchandising da banda?

Venefixion: Você sempre pode encontrar nossos lançamentos (quando eles não estão mais esgotados) via IRON BONEHEAD PRODS ou através do nosso Bandcamp (ainda temos fitas enquanto eu falava com você). Eu sou incapaz de lhe dar uma lista de lugares onde obter a demo, porém, o Google é o suficiente amigo (ler pelo menos algo que você deve cauteloso sobre) para encontrar onde ainda há cópias. Camisas e outras coisas sobre o próximo lançamento estará disponível apenas na IBP e alguns através de nós. Seus leitores podem experimentar em venefixionband@gmail.com. É isso.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Venefixion: Nós não nos prostituimos, é isso não tomaremos mais espaço por aqui.









Krisiun e Ratos de Porão anunciam show especial em São Paulo

A Tropical Butantã orgulhosamente apresenta a segunda e tão aguardada edição do Tropical Rock Fest. O evento confirmado para o 2 de junho terá a performance especial das bandas Krisiun e Ratos de Porão, dois grandes representantes da música pesada nacional no exterior. Ingressos já à venda, inclusive para camarote open bar. Mais informações abaixo.



Bandas fazem parte da segunda edição do Tropical Rock Fest – fotos: divulgação

Após nova bem-sucedida turnê pela Europa e ainda percorrendo diversos países da América do Sul, o Krisiun já começa a planejar novos shows pelo Brasil para celebrar seus 26 brilhantes e respeitados anos na estrada.

Cada dia mais devastadores e protagonizando impressionantes performances, Alex Camargo (baixo/vocal), Moyses Kolesne (guitarra) e Max Kolesne (bateria) seguem atraindo uma legião de fãs por onde passam com a turnê promocional do aclamado novo álbum “Forged In Fury”.

E para celebrar estas mais duas décadas de carreira em grande estilo, o power trio volta a reencontrar os fãs paulistas, no próximo dia 2 de junho, na Tropical Butantã, em São Paulo, como atração principal da segunda edição do Tropical Rock Fest.

Especialmente neste evento, o Krisiun vai apresentar o show “Black Apocalyptic Armaggedon” tocando apenas os clássicos dos seus três primeiros álbuns, “Black Force Domain” (1995), “Apocalyptic Revelation” (1998) e “Conquerors of Armageddon” (2000). Será um setlist inédito e exclusivo para esse show.

A outra grande atração é o Ratos de Porão, um dos nomes mais importantes da história do underground mundial. Com mais 30 anos na batalha, João Gordo (vocal), Jão (guitarra), Juninho (baixo) e Boka (bateria) se estabeleceram como um verdadeiro fenômeno global e, com o lançamento do aclamado novo álbum “Século Sinistro”, seguem mantendo a mesma vitalidade, força e irreverência do inicio de carreira.

O quarteto possui uma longa discografia com álbuns que se tornaram clássicos absolutos como “Crucificados pelo Sistema” (1984), “Cada Dia Mais Sujo e Agressivo” (1987), “Brasil” (1989) e “Anarkophobia” (1990).

Os ingressos já estão à venda, inclusive para o camarote open bar, pelo site da Ticket Brasil (https://ticketbrasil.com.br/festival/4899-tropicalrockfest2-saopaulo-sp) e pontos autorizados pela empresa na capital paulista, , Santo André, São Bernardo, São Caetano, São Mateus, São Bernardo do Campo, Osasco, Guarulhos (https://ticketbrasil.com.br/festival/4899-tropicalrockfest2-saopaulo-sp/pontos-de-venda). Mais informações no serviço abaixo.

Com espaço de 1000 m², a Tropical Butantã está comodamente localizada à 200m da estação Butantã do Metrô, possuí capacidade confortável para 2.500 pessoas, ar-condicionado, camarotes extremamente bem distribuídos, com vista privilegiada do palco, espaço ao ar livre para fumantes. Com todo o sistema de som e luz alterado, a infraestrutura da casa agora conta com equipamentos de última geração e está mais do que preparada para receber grandes artistas nacionais e internacionais.





Links relacionados:
https://www.facebook.com/krisiun.official
https://www.facebook.com/RatosdePoraoOficial
https://www.facebook.com/tropicalbutanta
https://www.facebook.com/UltimateMusicPR

Serviço São Paulo
Tropical Rock Fest II orgulhosamente apresenta Krisiun e Ratos de Porão
Data: 2 de Junho de 2017
Local: Tropical Butantã – www.tropicalbutanta.com.br
End: Av. Valdemar Ferreira, 93 – 200m da estação Butantã da Linha Amarela do Metrô
Horário: 20h (open doors)
Imprensa: press@theultimatemusic.com | 11 964.197.206
Apoio: Rádio & TV Corsário
Capacidade: 2.500 lugares
Chapelaria : R$ 10,00
E-mail: contato@tropicalbutanta.com.br
Telefone: (11) 3031.0393
Censura: 18 anos
Estacionamento: nas imediações da Tropical Butantã (sem convênio)
Estrutura: ar-condicionado, acesso para deficientes somente na pista, área para fumantes e enfermaria

SETORES/VALORES - 1° LOTE
Pista meia entrada/estudante: R$ 40,00
Pista promocional*: R$ 40,00
Pista inteira: R$ 80,00
Camarote Open Bar**: R$ 90,00
*ingressos promocional devem levar 1kg de alimento não perecível exceto sal e açúcar para doação no dia do evento.
**Open bar: água, refrigerante, cerveja, vodka, energético e catuaba
.

Informações e compra de ingressos:
# BILHETERIAS TROPICAL BUTANTÃ (Posto de venda sem taxa de conveniência)
Horário: Segunda à sábado das 11h às 18h | Formas de pagamento: apenas dinheiro

COMPRA PELA INTERNEThttps://ticketbrasil.com.br/festival/4899-tropicalrockfest2-saopaulo-sp
***Pontos de venda autorizados em São Paulo, Santo André, São Bernardo, São Caetano, São Mateus, São Bernardo do Campo, Osasco, Guarulhos. Mais informações em https://ticketbrasil.com.br/festival/4899-tropicalrockfest2-saopaulo-sp/pontos-de-venda/
(Formas de Pagamento: dinheiro, cartões de crédito Visa, MasterCard, American Express e Dinners Club)

**** Para a compra de ingressos para estudantes, aposentados e professores estaduais, os mesmos devem comparecer pessoalmente portando documento na bilheteria respectiva ao show ou nos pontos de venda. Esclarecemos que a venda de meia-entrada é direta, pessoal e intransferível e está condicionada ao comparecimento do titular da carteira estudantil no ato da compra e no dia do espetáculo, munido de documento que comprove condição prevista em lei;
***** A produção do evento NÃO se responsabiliza por ingressos comprados fora do site e pontos de venda oficiais;
****** É expressamente proibida a entrada com câmeras fotográficas e filmadoras profissionais ou semi-profissionais.

Próximas divulgações THE ULTIMATE MUSIC – PR:
22/03 – Borknagar – Hangar 110 – SP/SP
24/03 – Tsjuder – Clash Club – SP/SP
25-26/03 – Lollapalooza Brasil – Autódromo de Interlagos – SP/SP
26/03 – Grave Digger – Carioca Club – SP/SP
09/04 – Opeth – Carioca Club – SP/SP
23/04 – Suicidal Angels – Clash Club – SP/SP
28/04 – Angelcorpse – Clash Club – SP/SP
29/04 – Tiger Army – Clash Club – SP/SP
30/04 – Cockney Rejects – Clash Club – SP/SP
14/05 – The Amity Affliction – Clash Club – SP/SP
14/05 – Sonata Arctica – Botequim – Belém/PA
19/05 – Sonata Arctica – Aquarius Rock Bar – SP/SP
27/05 – Amon Amarth + Abbath – Tropical Club – SP/SP
02/06 – Krisun + Ratos de Porão – Tropical Club – SP/SP
14/06 – Moonspell – Clash Club – SP/SP
25/06 – Liberation Festival – Espaço das Américas – SP/SP
12/08 – Anathema – Carioca Club – SP/SP

Além dos shows, a The Ultimate Music – PR orgulhosamente assessora as bandas Krisiun, Muqueta na Oreia, Alekto, KroW, Confronto, Claustrofobia e Hugin Munin. Para mais informações, acesse http://theultimatemusic.com.

Atenciosamente,
Costábile Salzano Jr
THE ULTIMATE MUSIC – PR
11 4781.1752 | 11 4241.7227 | 11 964.197.206 (Whatsapp)
press@theultimatemusic.com
http://theultimatemusic.com
https://www.facebook.com/UltimateMusicPR
http://twitter.com/ultimatemusicpr
https://www.facebook.com/costabile.salzano













terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Entrevista - Bulletsize (Suécia)

Desde o final dos anos 80 que a Suécia sempre está exportando grandes bandas de Death Metal, mantendo a essencia de seus ancestrais como Entombed, Dismember, Hipocrisy, Grave entre outros, confira a entrevista que fizemos com a banda Bulletsize:




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Bulletsize e quais são os planos para o futuro?

Bulletsize: No momento estamos esperando por nossos álbuns físicos para promover, também estamos trabalhando em algumas músicas novas, que ainda não têm nomes.


Quais são suas principais influências musicais?

Bulletsize: NWOBHM, Death Metal dos anos 90 e Punk/Hardcore.






Como tem sido a recepção de "Pansar" mundo afora?

Bulletsize: É cedo para dizer, mas as pessoas que o ouviram parecem ter gostado.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Bulletsize: Krisiun,Marduk,Dark Funeral,Belphegor e Slayer.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Bulletsize: Guerra, religião e medo.


Como foi o processo de filmagem do videoclipe "Genocide"? onde ele foi filmado? quem foi responsável pela produção?

Bulletsize: Foi filmado fora da sala de ensaio da minha outra banda o Stormgoat é um matadouro velho, estava frio e estava chovendo e eu acho que ficou bom, a produção é feita pelo meu velho amigo Ronnie Ripper da banda Turbocharged.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Bulletsize: Nós que agradecemos pelo seu tempo.

facebook/Bulletsize











quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Resenha - Amezarak - Non Lucidum Tristitia (2016)



Banda: Amezarak
Album: Non Lucidum Tristitia
Ano: 2016
Formato: CD
Gênero: Black Metal
Selo: Satanath Records/Symbol of Domination



Horda russa de black metal na linha dos clássicos trabalhos de bandas como Gorgoroth, Nargaroth, Graveland, Horna, Burzum e Satanic Warmaster, sonoridade gélida, misantrópica e cheia de muito sentimento sombrio e melancólico, uma verdadeira viagem espiritual na escuridão da alma.

O que me chamou a atenção foi o  trabalho de "guitarras gêmeas", aquelas tipicas harmonizações de 2 guitarras, lembrando os clássicos trabalhos do Rotting Christ em algumas passagens, diria que muito dos álbuns do Darkthrone da primeira metade dos anos 90, pode ter sido usado com referência de produção.

A Arte do álbum é simples, porém muito bela, muitas das melhores coisas na vida são simples, é uma grande obra, uma das melhores bandas de black metal da Rússia dos últimos anos, com certeza.

O álbum é todo em russo, quem sabe isso não possa ser um incentivo para nós aprendermos um novo idioma não é mesmo? altamente recomendável, não perca tempo e adquira já a sua cópia diretamente com a Satanath Records:

www.satanath.com

















terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Resenha - Sectasys - Brotherhood of Chaos (2016)



Banda: Sectasys
Album: Brotherhood of Chaos
Ano: 2016
Formato: CD
Gênero: Black/Death Metal
Selo: Satanath Records



Lhes apresento essa negra horda venezuelana, uma das melhores sul-americanas da atualidade, sem dúvida, indicado aos apreciadores daquele black metal intenso e impiedoso da segunda metade dos anos 90, de hordas como Marduk, Dark Funeral, Immortal, Enthroned, Setherial e com o acréscimo de influências de bandas de Death metal com Angelcorpse, Sinister, Belphegor e Immolation.

As guitarras são impiedosas, junto com a bateria "metranca" impiedosa durante a maior parte desse negro artefato, vocais que variam entre o mais rasgado característico das bandas escandinavas até o gutural mais caótico e obscuro que remete aos gloriosos períodos de cada estilo nos anos 90, aqui se encontram belos vocais líricos femininos também em meio ao caos musical, só que esses belíssimos vocais contribuem para que a musicalidade dessa horda atinja locais da sua consciência que provavelmente você ainda não acessou com uma experiência musical assim.

A produção musical é muito orgânica e natural do jeito que o estilo deveria ser sempre, na minha opinião é claro, fazendo com que reine uma atmosfera sinistra, obscura e satânica durante todo o opus, o som de bateria é muito marcante e um dos destaques desse material.

Capa muito bonita, bem desenhada, o encarte é muito bem feito, destaque para a arte muito criativa das imagens contidas no interior do encarte.

Álbum extremamente recomendável para cultuadores do black metal infernal dos anos 90 , adquira já o seu, entrando em contato com a Satanath Records:

www.satanath.com














sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Entrevista - Frozen Aeon (Brasil)

Horda blasfema e cheia de ódio diretamente do Rio de Janeiro, com seu death/black metal brutal, pesado e sem modismos, confira a entrevista que fizemos com a Frozen Aeon.




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a horda Frozen Aeon e quais são os planos para o futuro?

Frozen Aeon: Obrigado pela oportunidade. Lançaremos mais um ep ainda esse ano, provável de ano que vem sair o primeiro disco.


Quais são suas principais influências musicais?

Frozen Aeon: Na banda temos influências distintas, eu curto quase tudo dentro do metal, quase todos os sub estilos, mas para compor eu, pessoalmente, foco como influência as bandas de death metal do final dos anos 80 e início de 90 como Obituary, Deicide, Cancer, Massacra, Death, além de algumas novas como Aborted, black metal como Marduk, Dark Funeral, Negator e Dimmu Borgir e coisas que sempre ouço como Mercyful Fate, King Diamomd, Venom, Iron Maiden, Slayer...atualmente não estamos focados em nos prender em rótulos, tocamos metal extremo.





Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Frozen Aeon: Death, Bleeding Through, Judas Priest, Iron Maiden, Dark Funeral e Slayer.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Frozen Aeon: Me inspiro no quanto a raça humana é fútil, no obscuro, nessas pragas dessas religiões com seus profetas e seguidores.


Como tem sido a recepção de “Darkness will be Reign Forever” mundo afora?

Frozen Aeon: Tem sido muito boa, bem melhor que aqui, pra variar.


Como tem sido a parceria com o selo “Anaites Records”?

Frozen Aeon: Não temos parceria com selos mais. Desde que lançamos 2 demos por um selo de merda daqui do RJ que nos roubou, agora fazemos por conta própria o lançamento e distribuição.


Quando serão os próximos shows da banda? Deixe as datas para nossos leitores.

Frozen Aeon: Não estamos pensando em shows no momento, principalmente no RJ, nosso foco agora é compor e lançar logo esse full que já deveria ter saído em 2013.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Frozen Aeon: Obrigado a vocês pela oportunidade, Obrigado para quem nos apoia e nos valoriza, obrigado também aos que não dão papo para os babacas que fazem fofocas e inventam merda da gente, isso é coisa de frouxo e cara a cara ninguém fala nada. Estamos trabalhando para fazer um material de qualidade e boa gravação. Ouçam nossas 2 demos e 1 ep no youtube pois tem disponível e siga a banda pelo facebook, só procurar Frozen Aeon. Interessados em shows e materiais, só me mandar um email: alexyfrozen@hotmail.com mais uma vez, obrigado....see ya 666











quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Entrevista - Uttertomb (Chile)

Banda obscura, sonoridade e atmosfera tão impar, que muitas vezes só encontramos na América do Sul, confira a entrevista que fizemos com a banda chilena de Death Metal Uttertomb.




Saudações SS, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-los, como foi o ano de 2016 para a banda Uttertomb e quais são os planos para o futuro?

SS: Saudações. Atualmente, após o lançamento do "Sempiternal" estamos em uma temporada de composição, deixando ao lado os outros projetos e focando apenas em nosso próximo LP, e também uma re-gravação de nosso EP de 2012 "Necrocentrism" com uma faixa bônus, que é uma nova musica que consagra e fecha o conceito e "história" desse lançamento. Estamos fazendo novos arranjos das músicas de 2012 e deverão ter um som melhor e execução. A razão: para tirar o espinho de nossas gargantas que sentimos que esse EP poderia ter sido melhor em termos de som devido ao nosso desconhecimento inicial em primeiro lugar.


Quais são suas principais influências musicais?

SS: Pessoalmente, prefiro Death Metal por razões óbvias, mas eu gosto de todos os tipos de Metal e estilos de música. O objetivo é ouvir qualquer banda, não importa se é metal ou não, que pode evocar e obscurecer, sério, único e genuíno sentimento. Há muitas bandas que são minhas influências, mas as que vem à minha cabeça agora são Sadistic Intent, Paradise Lost, Incantation, Black Sabbath, Nifelheim, Disembowelment, Mortem (Per), Infernal Majesty, Scald, Old Funeral, Asphyx, etc.





Como tem sido a recepção de "Sempiternal" mundo afora?

SS: Eu ouvi boas críticas e comentários, então a recepção de Sempiternal foi ok ... Eu não estou realmente interessado nisso sinceramente.


Como tem sido a parceria com o selo "Pulverized Records"?

SS: Ótimo! Nada ruim para dizer. Roy é um cara muito sério, de apoio e sempre disponível para qualquer assunto ou dúvida que temos. A qualidade dos lançamentos em qualquer ponto de vista é incrível! Confira outros lançamentos da Pulverized Records como: Vanhelgd, Awe e Temisto!!!


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

SS: Ufff ... muitas, estou em contato com muitos amigos, compartilhando diferentes bandas todos os dias, mas aqueles que estão profanando minha mente esta semana são Danger Cross (Grc), Grave Miasma, Sortilége, Evil Priest (Per), Verbum (Chl), Los Duros (Chl), Venus Torment, Pissgrave (USA), Malhkebre, Violent Scum, etc!


Quais as principais inspirações para as composições das letras da banda?

SS:
 Morte ... vindo de todas as visões, ângulos, direções e caminhos. Tudo converge em um ponto através de uma história, uma evocação, uma reflexão ou apenas um impulso para criar uma atmosfera que leva você a uma visão mental, ou uma emoção física sobre a morte. Tão simples e complexo ao mesmo tempo sobre isso.



Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

SS: Muito obrigado pelo interesse, abrace a morte!










quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Entrevista - Sapremia (Estados Unidos)

A melhor banda de death metal americano a fazer as coisas no estilo da escola sueca de fazer death metal, desde os anos 90 no underground, confira a entrevista que fizemos com a banda Sapremia.




Saudações Lou Ferrara, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Sapremia e quais são os planos para o futuro?

Lou Ferrara: Obrigado por nos entrevistar! Os planos imediatos para o Sapremia é escrever o próximo álbum durante os meses de inverno, e depois gravá-lo para lançamento em meados de 2017. Temos algumas gravadoras interessadas em lançá-lo para nós, o tempo vai dizer que realmente que lançará o álbum. Estaremos fazendo uma boa tour em junho/julho de 2017.


Quais são suas principais influências musicais?


Lou Ferrara: Nós estamos nessa desde os anos 90, nós continuamos a tocar o estilo death metal old school, não importa o que está acontecendo em torno de nós. Naquela época, quando as bandas em torno de nós foram atraídas para o estilo brutal de Nova York, fomos sempre mais influenciados pelo estilo de death metal sueco, nossas principais influências sendo Grave, Unleashed, Carnage, Dismember, Entombed, etc.



Como tem sido a recepção de "Autumn's Moon" mundo afora?


Lou Ferrara: Autumn's Moon foi muito bem recebido, e ganhou excelentes críticas em todo o mundo. Por alguma razão entretanto, não vendeu tão bem quanto nosso lançamento Hollow  de 2007 e com lançamento de With Winter Comes Despair  de 2008, ambos em Open Grave Records. Nós continuamos a excursionar e tocar com muitos shows o quanto possível para promover o álbum, espero que com o lançamento do próximo álbum e tenha ainda mais divulgação.



Como foi a parceria com o selo "Butchered Records"?

Lou Ferrara: Butchered foi ótima, mas infelizmente já não é um selo. Essa é, em parte, a razão pela qual o Autumn's Moon não vendeu tão bem, no meio da campanha de álbuns, o selo decidiu fechar suas portas. Então, houve mais impulso para o álbum através deles. Ainda vendemos mais de 1000 cópias físicas em todo o mundo, mas estamos ansiosos para duplicar isso com a divulgação.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?
Lou Ferrara: Há tantas bandas, tantos estilos que cada membro do Sapremia ouve. Gostaríamos de aproveitar esta oportunidade para citar alguns dos nomes alguns bons amigos nossos que se você não estiver familiarizado com, você deve conferir...Abnormality, Black Crown Initiate, Corpse Hoarder, Percussor, Visions of the Night, Descendency, Sentient Horror, etc.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Lou Ferrara: Eu, Lou Ferrara (Baixo/Vocal) crio todas as letras para a banda. As inspirações vêm principalmente da leitura que eu faço, mas também filmes, eventos da vida real, e basicamente em todos os lugares e em qualquer lugar que eu possa encontrá-lo. Sendo uma banda de death metal, a letra é composta principalmente pelo horror da humanidade, mas o álbum Autumn's Moon, em particular, foi mais influenciado pelos primeiros filmes da Universal e da Hammer de Horror dos anos 30 e 40.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Lou Ferrara: Estamos sempre gratos pelo apoio que recebemos, em todo o mundo. Nós fizemos esta coisa agora por mais de 25 anos, sempre em nossos termos, nunca se estabelecendo para o que um selo principal queira a banda. Espero que possamos continuar a trazer qualidade. Old school death metal para aqueles que desejam ouvir. Temos vários meios de comunicação sociais onde você pode encontrar nosso material e vídeos, como /sapremiaoffical, 
sapremia_njdm no instagram, 
@sapremianj no twitter, 
facebook.com/sapremia, 
E vários locais no youtube!










terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Entrevista - Dira Mortis (Polônia)

Dira Mortis é um nome de peso do death metal polonês atual, banda com excelente atmosfera, técnica e produção musical, confira a entrevista que fizemos com a banda.




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Dira Mortis e quais são os planos para o futuro?

Dira Mortis: Olá. Para responder a sua pergunta, eu não tenho muito a dizer sobre 2016. Em 2014 e 2015 foi um tempo de trabalho duro na composição de "Psalms of Morbid Existence". O álbum foi lançado. Reunimos opiniões muito positivas. Por algum tempo eu irei trabalhar em novas músicas para o sucessor do álbum. Acho que vai demorar um pouco. Quanto a planos para o futuro, não vou muito longe. Primeiro, eu gostaria de reunir idéias para um novo álbum. Ao longo do caminho, alguma versão menor talvez. Veremos. Tudo depende de muitas coisas, então de vez em quando, continue procurando na nossa página no Facebook e você saberá o que está acontecendo.



Quando serão os próximos shows da banda? deixe as datas para nossos leitores.

Dira Mortis: Nós nunca tocamos em muito shows devido ao fato de que, apesar da recepção muito boa da nossa música, ninguém abre portas e janelas. Por algum tempo eu digo que é melhor tocar menos, mas algo que é significativo e bem organizado. Nós não temos demandas excessivas, então quando alguém quer organizar nosso show, sempre pode nos escrever. Na cena do metal há a convicção que você tem que rasgar suas entranhas para existir e para tocar. Músicos estão dispostos a pagar mais dinheiro para tocar em mais shows. Nós não pertencemos a este grupo de bandas que fazem tudo a qualquer preço. Nós atacamos as pessoas com nossa música e deixamos para elas. Não nos sentamos na caixa de correio dia e noite, não olhando intensamente para os eventos, que poderíamos pegar. Talvez esta seja a razão pela qual não estamos particularmente ativos. Se alguém perguntar, vamos tentar tocar aqui e ali. Shows é uma coisa boa, então se algo será feito, você vai encontrar informações.







Quais são suas principais influências musicais?

Dira Mortis: Eu só posso falar por mim mesmo. Eu não sei exatamente o que é a inspiração dos meus colegas. A vida em si me inspira definitivamente e todas as coisas que me rodeiam todos os dias também. Certamente o gênero death metal é uma inspiração para mim, com foco sentimento do som, onde você pode encontrar um monte de emoções diferentes. Quando estou trabalhando em novos materiais, estou ouvindo menos. Estou focado no que será construído em minha mente e isso é bom.


Como tem sido a recepção de "Psalms of Morbid Existence" mundo afora?

Dira Mortis: A resposta foi muito boa sobre o nosso álbum. Estamos muito satisfeitos com o resultado final. Estamos agradavelmente surpresos. Não reclamamos. Eu gostaria que uma vez que saísse em vinil e vamos continuar buscando isso. Certamente teremos muito trabalho em novos materiais, se quisermos torná-los melhores. Eu suspeito que precisamos nos dar mais tempo.


Onde é possível adquirir o material de merchandising da banda? cd's, camisetas, etc?

Dira Mortis: Defense Records, o nosso atual selo tem o último álbum e camisetas, e o anterior "Euphoric Convulsions" Você pode encontrar na loja Let It Bleed hellshop.eu. Em nossos site você pode procurar por nossas coisas. Você também pode obtê-los em distribuições de outros selos, Ebay, etc Hoje não há problema com tais coisas, porque existe a Internet.


Como tem sido a parceria com o selo "Defense Records"?

Dira Mortis: A Defense não é um grande selo, por isso não podemos esperar milagres. Peter é um chefe legal e meu amigo, além disso. Nem tudo é cor de rosa e muitas coisas poderiam ser melhoradas, mas há também um monte de aspectos positivos. Mudar de selo no futuro é possível, mas por agora, se eu não tiver uma garantia de que teremos mais opções, não vamos a lugar nenhum. Em resumo, tudo está bem. Você sempre pode melhorar tudo, então o tempo dirá.


Qual a atual formação da banda?

Dira Mortis:O  Line-up por um longo tempo é o mesmo, e eu espero que seja o mesmo até o fim. Dira Mortis é: Leszek Makowiecki - guitarra, Mscislaw - baixo, Lukasz Glinski - vocais e Vizun - bateria.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Dira Mortis: Seria difícil mencionar todas as bandas. Geralmente, todos os gêneros do metal no meu caso. Também alguma de rock, música eletrônica, basicamente tudo o que chama a minha atenção. As dos colegas pelo que eu sei são bastante semelhantes.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Dira Mortis: Você teria que perguntar ao Lukasz sobre as inspirações para as letras. Ele é responsável pelas letras de nossos álbuns, então ele é a melhor pessoa para responder. No último álbum ele fez isso, com uma aparição de Bartlomiej Trzaska, que também escreveu algumas linhas. Eu olho através dos textos antes das gravações, no estúdio e nos monitores se caberem no album inteiro, que nós pretendemos gravar. Nós compartilhamos o trabalho um do outro e tudo está bem claro.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog.

Dira Mortis: Agradeço também pela entrevista. Saúdo todos os maníacos do seu país e espero que nossos álbuns alcancem o máximo de seus amigos, que apóiam o underground. Sobre o que está acontecendo conosco, veja a página oficial do Facebook e Metal Archives. Isso é tudo.











sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Entrevista - Headrot (Estados Unidos)

O Death Metal Norte Americano sempre esteve muito presente em minha vida e sempre esteve muito presente aqui no blog também, conheça o Headrot, essa que é uma das melhores bandas americanas do começo dos anos 90 e que renasceu na década atual para continuar a espalhar o terror pelo mundo, confira a entrevista que fizemos com o Mike Brown.



Saudações Mike Brown, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como está foi o ano de 2016 para a banda Headrot e quais são os planos para o futuro?

Mike Brown: O mesmo para você, e obrigado pela oportunidade! 2016 teve seus altos e baixo, lançamos o nosso CD Human Buffet pela Pathologically Explicity na Espanha e Casket Music no Reino Unido, parece estar indo bem assim yeah! 2017 deve ser um grande ano com uma nova programação, juntamente com o lançamento do nosso próximo CD "Devious Actos de Defilement", que deve ser lançado em meados de ano juntamente com algumas mini-tours e mostra única que deveremos estar bem ocupados!


Quais são suas principais influências musicais?

Mike Brown: Algumas bandas de death metal e metal old school como Black Sabbath, Autopsy, Carcass, Entombed, algumas bandas de rock clássico.





Como tem sido a recepção de "Human Buffet" mundo afora?

Mike Brown: Muito boa, temos recebido ótimas resenhas e nós estamos muito felizes com isso.


Como tem sido a parceria com o selo "Pathologically Explicit Recordings"?

Mike Brown: Eles são grandes pessoas e nós apreciamos tudo o que eles fizeram por nós e como eu disse anteriormente o CD foi bem.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Mike Brown: Você sabe que hoje em dia muitas bandas soam de forma similar, parece que perderam o estilo tentando ser como outras bandas em vez de encontrar sua própria originalidade! Mas como ultimamente há algumas bandas underground reais boas que vêm em mente assim que se mantêm os ouvidos abertos para Ascended Dead, Witchking, Inhumatus, Coisas assim, o nosso apoio vai para aqueles caras e é o que ouvimos, além de um pouco de Chopin de vez em quando.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Mike Brown: Horror, Assassinatos, sangue, Tripas, desmembramentos, você sabe todas essas coisas arrepiantes!


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Mike Brown: Obrigado igualmente, e todos que nos apoiam de todas as formas, o que eu realmente aprecio! Lembre-se que é muito importante que apoiemos a cena underground porque faz toda a diferença para as bandas locais e para o underground em geral, então vá e mostre o seu apoio agora!
Horns Up, Cheers!








quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Entrevista - Bottlekopf (Polônia)

Confira a entrevista que fizemos com essa excelente banda polonesa que tem um estilo diferenciado de fazer death metal, com letras originais e críticas ao mundo e sociedade decadentes, confira a entrevista abaixo.



Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Bottlekopf e quais são os planos para o futuro?

Bottlekopf: Olá! Aqui é o Chłosta! Estamos felizes que nossa música tenha alcançado de alguma forma a América do Sul (hehehe). Este ano, fomos capazes de preencher lacunas na formação da banda após a saída do baixista e baterista. Eles foram orgulhosamente substituídos por Marcin - bateria e Chomik (Hamster) - baixo. Agora estamos nos concentrando em ensaios com um material do nosso primeiro LP "Absolutely Nothing ". Provavelmente no final do ano haverá alguns shows em algum lugar na Silésia, mas no próximo ano vamos chutar algumas bundas. Pretendemos concluir o trabalho de material para o próximo LP e atacar vários festivais na Europa, com que resultado? O tempo dirá.


Quais são suas principais influências musicais?

Bottlekopf: Um grande papel desempenhado pelas antigas bandas suecas como Entombed e Dismember. Acho que nossa música ganhará  muito com os novos membros. Por uma questão de fato, todos nós ouvirmos músicas que variadas dentro dos mais variados estilos de heavy metal. Essa diversidade é boa para a evolução da nossa música.


Como tem sido a recepção de "Absolutely Nothing" mundo afora?

Bottlekopf: Vários comentários positivos. Houve, claro, críticas, que de alguma forma tivemos que assumir os erros hehehe. A promoção do nosso CD não funcionou muito bem, porque tocamos apenas 7 concertos na Polónia com a formação completa, após o que tivemos de fazer uma pausa que durou um ano inteiro, após a saída do baterista e baixista.


Como tem sido a parceria com o selo "Wydawnictwo Muzyczne Psycho”?

Bottlekopf: Wydawnictwo Muzyczne Psycho nos ajudou muito com o lançamento do LP "Absolutely Nothing" . O selo não organiza shows, mas ajuda as bandas a lançar Cds, que depois promovem em shows e na Internet.


Quais as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Bottlekopf: Começou com álcool e festas, mas com o tempo, as letras começaram a evoluir na direção de algum tipo de problemas e pensamentos humanos. Nós simplesmente começamos a derramar no papel o que nos rodeia e o que nos irrita.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Bottlekopf: Obrigado também! Espero que algum dia alguém nos convide para a América do Sul, porque, infelizmente, não podemos pagar uma viagem como hehehe. Convidamos todos a se familiarizarem com nosso material e acompanhar o destino da banda. Nós não dissemos a última palavra. Se você quiser entrar em contato conosco, por favor escreva para: bottlekopf@gmail.com